Pesquisar Assuntos Neste Blog

19 de set de 2011

Livros pioneiros obtidos de gravações de psicofonias

Arnaldo Rocha, cofundador com Chico Xavier do Grupo Meimei (Pedro Leopoldo, MG) e organizador dos livros Instruções Psicofônicas e Vozes do Grande Além, comenta as obras pioneiramente obtidas por gravações de psicofonias. É dirigente de reuniões na União Espírita Mineira




Reformador: Como foram os episódios prévios ao Grupo Meimei?

Arnaldo: Após a desencarnação de Meimei, em 1946, conheci Chico Xavier e o Grupo Dalva de Assis (em Belo Horizonte), dirigido pelo meu irmão Geraldo Rocha, onde até 1948 atuei como médium psicofônico. Certo dia,  ofre Lelis (colega militar e colaborador de Juscelino Kubitschek) dirigia a reunião e manifestou-se um Espírito muito prepotente. Tentaram “doutriná-lo” – o que não é aceitável –, porque se deve dialogar com os Espíritos sem  qualquer ideia de doutrinação. Passei a dialogar com o Espírito e relatei a modificação de minha vida e a aprendizagem com Meimei, a quem o comunicante passa a ver. Em seguida, a médium Eni Fasanelodesigna-me como responsável pelos diálogos. Ao visitar Chico Xavier, este confirmou minha nova incumbência e transmitiu-me as orientações iniciais de Emmanuel: nunca discutir com a entidade comunicante e nem falar que ela já “morreu”. Chico começou a comparecer a essas reuniões das quartas-feiras, em Belo Horizonte, entre 1949 e 1951, quando não ocorria a reunião no lar de Dr. Rômulo Joviano, em função de viagens deste. Passei a verificar que Chico era assediado por Espíritos necessitados e que era imprescindível uma reunião mediúnica para atendê-los. Chico Xavier sempre comentava sobre a dificuldade, desde a desencarnação de seu irmão José, de participar de reu reunião mediúnica. Chico ainda prosseguiu com um grupo de confiança, organizado por José, mas certo dia ocorreu a conhecida “surra do Evangelho” e então o médium suspendeu a reunião.

Reformador: E como surgiu o Grupo Meimei?

Arnaldo: Semanalmente participava das reuniões citadas e também do Centro Espírita Luiz Gonzaga, em Pedro Leopoldo. Em 1952, passamos então a funcionar nesta cidade, dando início ao Grupo Meimei, com médiuns experientes da localidade, como Lucília, irmã de Chico, e amigos de Belo Horizonte, completando até oito médiuns. O Grupo Meimei foi fundado em 31 de julho de 1952, mas somente veio a ter sede própria no ano de 1954. Na sede do “Luiz Gonzaga” não ocorriam transes psicofônicos de Chico Xavier, apenas as psicografias.
Aprendi muito com o Chico, durante seus transes mediúnicos. Após o término das reuniões, sempre conversávamos sobre as mesmas, estendendo o encontro para a casa de seus irmãos André ou Cidália, casadacom Chiquinho Carvalho. Chico sempre recomendava para não se estimular a vaidade e o orgulho dos médiuns.

Reformador: Quando e como surgiram as gravações das reuniões?

Arnaldo: No início de 1954, Carlos Torres Pastorino visitou Pedro Leopoldo e se interessou em conhecer o Grupo Meimei. Ao constatar a riqueza das reuniões – pois todos conheciam Chico Xavier como médium de “Espíritos de luz”, mas desconheciam que ele atuava como qualquer outro médium –, doou um gravador, à época um equipamento ainda raro. Pastorino ensinou-me como utilizar o aparelho e passamos a gravar as reuniões a partir do dia 11 de março de 1954. Transcrevemos as psicofonias e as mostramos a Pastorino numa outra visita sua. Como precisei ir ao Rio, em função de trabalho, levei algumas fitas gravadas e transcrições para mostrá-las ao presidente da FEB, Dr. Wantuil de Freitas. Ele atendeu-me com muita atenção e recomendou que passasse tudo para o papel, porque  àquela época, duplicar e comercializar gravações seria muito oneroso e com pouquíssimo número de pessoas com disponibilidade para ouvi-las. Sugeriu que preparássemos um livro. Elaborei o primeiro: Instruções Psicofônicas. A transcrição inicialmente foi feita por mim e depois o marido de Lucília, o Pacheco (apelido de Waldemar Batista da Silva), passou a colaborar.
Emmanuel fez as revisões dos textos. Organizamos o livro e Chico recomendou que aparecêssemos como coautores, mas não concordamos, definindo que escreveríamos apenas a apresentação (“Explicação necessária”). Fizemos os registros, a doação dos direitos à FEB, e levamos o texto ao seu presidente. Dr. Wantuil de Freitas considerou-o uma preciosidade e o livro foi publicado pela FEB, em 1956. Ocorreram até críticas de alguns, pois adotei o termo psicofonia e não incorporação. Chico recomendou que nos calássemos.

Reformador
: Surgiram outros livros?





Arnaldo: Organizamos depois Vozes do Grande Além, lançado em 1957. Houve até um diálogo interessante entre mim e o médium para chegarmos a um ponto comum com relação ao título. Logo depois que Chico se mudou para Uberaba entreguei a ele parte dos originais para um eventual novo livro, obtido das gravações das psicofonias. A cada visita, lembrávamos a Chico e este sempre respondia: “É mesmo, precisamos publicá-lo...”. Depois mudei-me para Brasília, passei a visitá-lo esporadicamente, o tempo passou, e o terceiro livro não foi publicado.

Reformador: Como era Chico como médium psicofônico?

Arnaldo: Chico, como médium psicofônico,mudava totalmente o tom de voz, distinguindo-se perfeitamente os tons masculino e feminino. Situações de transfiguração eu constatei muitas vezes em manifestações através dele, principalmente quando os comunicantes eram Espíritos femininos. Numa das reuniões do Grupo Meimei, o Espírito José Cândido Xavier manifestou-se informando que nos mantivéssemos em preces, porque naquela noite contaríamos com a participação de Teresa d’Ávila, não numa presença direta: ela nos dirigiria a mensagem emitida de altas esferas espirituais e utilizando intermediações (Instruções psicofônicas, cap. 32). Em seguida, sentimos o aroma de perfume de rosa efeito raro no Grupo Meime
, e recebemos suas orientações. Durante a manifestação, percebemos a transfiguração do médium Chico Xavier. Há muitos outros fatos impressionantes, como diversas manifestações de Pedro de Alcântara, considerado santo pela Igreja (Op. cit., cap. 11, nota de rodapé), e que, segundo Chico, foi um dos personagens do romance Ave Cristo!. Aliás, verifiquei transfiguração também com a médium Eni Fasanelo, em 1946, quando, pela primeira vez, manifestou-se Meimei, e se dirigiu a mim. Ouvi aquela voz meiga e calma, utilizando maneirismos e pronunciando palavras que apenas eu conhecia como seu marido. Quando olhei para a médium verifiquei que seu rosto estava diferente, rejuvenescido, pois Meimei desencarnou jovem.

Reformador: Chico participava de muitas reuniões semanais?

Arnaldo: Em Pedro Leopoldo, Chico já participava de reuniões no “Luiz Gonzaga” às segundas e sextas-feiras, às quartas-feiras comparecia nas reuniões no lar do Dr. Rômulo Joviano, na Fazenda Modelo, e às quintas-feiras no Grupo Meimei. Emmanuel recomendou que Chico iniciasse uma outra reunião no Grupo Meimei. Surgiu assim a reunião mediúnica dos sábados. Foi no Luiz Gonzaga que se realizaram as reuniões de materialização, quando Peixotinho visitou o Chico.

Reformador: Há alguma orientação espiritual que gostaria de destacar?

Arnaldo: Certa feita, divergi de meu irmão Geraldo Rocha, no atendimento de uma médium no Grupo Meimei, porque eu entendia que embora estivéssemos identificando uma manifestação anímica, o atendimento com um diálogo calmo e fraterno deveria ocorrer da mesma forma. Nas semanas seguintes, o orientador Emmanuel discorreu de forma muito esclarecedora, na mensagem que foi intitulada “Trio Essencial” (Instruções Psicofônicas, cap. 59). Vale a pena refletir sempre sobre este texto. De outra feita, um Espírito prepotente e autoritário se manifestou e afirmou que não queria que sua voz fosse registrada no aparelho.Ao final da reunião, para surpresa minha, verifiquei que houve algum problema e realmente a mensagem não foi gravada. Dialoguei com a mesma entidade espiritual, várias vezes, durante uns nove meses, ocorrendo muitas informações interessantes e ela acabou se transformando num grande amigo nosso  o Cerinto (identificado como C.T. em Instruções Psicofônicas, cap. 37) – e que conduziu muitos Espíritos para o atendimento em nossa reunião. Em Vozes do Grande Além, está incluída a “Prece de Cerinto”.

Reformador: O que teria a dizer ao leitor sobre os dois livros citados e sobre os 150 anos de O Livro dos Médiuns?

Arnaldo: Os dois livros focalizados devem ser estudados no Movimento Espírita, e até para valorizar as reuniões mediúnicas, pois a maioria das pessoas
conhecem Chico apenas como médium psicógrafo. Tive contatos com muitas pessoas que me reconhecem pelo fato de tê-los organizado e me relatam
sobre a utilização em palestras dos casos registrados nos livros. No ano da comemoração dos 150 anos de O Livro dos Médiuns, aconselho a leitura e o estudo deste livro e também de O Céu e o Inferno, que contém relatos de manifestações espirituais, pois entendo que ambos ainda são grandes desconhecidos dos espíritas.








0 comentários:

Postar um comentário

VOTE AQUI

Doutrina Espírita para Principiantes

Loading...
Loading...

Postagens Populares

Isto não é Espiritismo - Frases, Fotos e Luzes

Minha lista de blogs

POST POR ASSUNTOS

a (1) ABORTO (9) ADULTÉRIO (1) ALCOOLISMO (1) Allan Kardec (11) ALMA (2) ANENCEFALIA (5) ANIMAIS (4) ANIMISMO (5) ANJOS (2) ANOREXIA (1) ANSIEDADE (1) APARIÇÕES (4) Artigo (524) AS DORES DA ALMA (12) AS DORES DA ALMA;ORGULHO (1) ÁUDIO E VIDEO (2) BIOGRAFIA (12) BULLYING (2) CALUNIA (4) CÂNCER (1) CARÊNCIA (1) CARIDADE (14) CARNAVAL (4) CASAMENTO (6) CASOS (5) CATARINA DE SIENA (1) CENTRO ESPIRITA (3) CHACRA (1) CHICO XAVIER (243) CIRURGIAS ESPIRITUAIS (6) CIUMES (2) CLONAGEM (1) CONVIVER E MELHORAR (7) CREMAÇÃO (1) CRIANÇA INDIGOS (8) CRIANÇAS (8) CULPA (1) DEPRESSÃO (16) DIALOGO COM AS SOMBRAS (28) DIVALDO FRANCO (145) DIVORCIO (2) DOAÇÃO DE ORGÃOS (1) DOENÇAS (8) DORA INCONTRI (12) DOWNLOAD (5) DUENDES (1) EMMANUEL (67) ENTREVISTA (25) EQM (4) ESPIRITISMO (5) ESPIRITO (26) EUTANÁSIA (4) EVENTO (121) EXILADOS DE CAPELA (2) FAMILIA (26) FANATISMO (3) (2) FEIRA DO LIVRO ESPIRITA (11) FELICIDADE (5) FILHO ADOTIVO (6) FILHOS (22) FILME (36) FINADOS (4) FLUIDO (2) FOTOS (17) GUERRA (2) HOMOSSEXUALIDADE (20) HUMOR (4) INVEJA (2) Joana de Ângelis (100) JORGE HESSEN (24) JORGE HESSEN art (3) LIVRE ARBITRIO (4) LIVRO (57) LIVRO DOS ESPIRITOS (2) LUTO (2) MÃE (3) MÁGOA (5) MALEDICÊNCIA (2) MARILYN MONROE (1) MEDIUM (67) MEDIUNIDADE (83) MELANCOLIA (1) MELINDRE (4) MENSAGEM (375) MESA GIRANTE (2) MÔNICA DE CASTRO (8) MORTE (60) MOURA FÉ (63) MUSICA (6) NILZA AZEVEDO (10) NOTICIAS (236) OBSESSÂO (20) ORGULHO (3) PASCOA (2) PÁSCOA (3) PASSE (9) PEDOFILIA (2) PERDÃO (15) PERISPIRITO (6) PERSONAGEM DA BOA NOVA (6) PINTURA MEDIUNICA (4) POESIA (10) PRECONCEITO (22) PROVAS (13) PSICOGRAFIA (4) QUALIDADE NA PRATICA MEDIUNICA (10) RECOMEÇAR (2) REENCARNAÇÃO (37) REFLEXÃO (104) RELACIONAMENTO (35) RELIGIÃO (1) RENOVANDO ATITUDES (31) S (1) SEMESPI (17) SEXO (14) Síndrome de Down (1) Síndrome do Pânico (1) SOLIDÃO (2) SONAMBULISMO (4) SUICIDIO (11) TATUAGEM (1) TOLERANCIA (3) TÓXICOS (5) TRAGÉDIA (5) TRANSTORNO BIPOLAR (1) TRISTEZA (1) VAIDADE (2) VAMPIRISMO (5) VIAGEM ASTRAL / DESDOBRAMENTO (1) VIDEO (28) VINHA DE LUZ (3) VIOLENCIA (2) ZIBIA GASPARETTO (7)

Visitas Recentes