Pesquisar Assuntos Neste Blog

14 de dez de 2012

FATALIDADE OU LIVRE-ARBÍTRIO: QUAL ESTÁ NO COMANDO?





Vive-se no meio de variadas atribulações e com certa frequência surge um novo espinho trazendo o sofrimento. Nessa hora, o espírita pergunta:
“Essa situação já estaria pré-determinada?”
Para responder, precisa-se distinguir  o sofrimento físico do sofrimento moral.
O mundo físico é o corpo, a família, a pátria, as condições socioeconômicas básicas que acompanham o ser enquanto ainda não puder tomar as suas decisões. O mundo moral é aquele do livre-arbítrio, da decisão, do pensamento e das ações.
Então, a resposta será, sendo o sofrimento físico, pode, sim, ter sido pré-determinado. É o que se costuma chamar de fatalidade. Em se tratando de sofrimento de natureza moral, não existe nenhum destino previamente formatado.
Nem pensar em dizer que uma pessoa é mal humorada ou desonesta porque o destino assim quis. Ocorre que ela não faz o suficiente para mudar, sua vontade é pouca. Se quisesse, ela conseguiria se modificar. Nesse mundo de provas, as fraquezas da alma estão sempre em jogo, enfrentando muitos arrastamentos para os vícios, mas com algum esforço, e boas escolhas, toda má inclinação pode ser superada.
A mente toma diversas decisões, do tipo: faço ou não faço? Aceito ou não aceito? E até mesmo do tipo: sofro ou não sofro? O espírito sempre decide, para o seu bem ou para o seu mal.
Nas decisões, um bom espírito pode ajudar a fortalecer o desejo de superação, inspirando coragem, enquanto um espírito atrasado pode atuar exagerando a dificuldade, tornando o problema algo insuperável, fazendo aos olhos da vítima, tudo parecer muito pior do que realmente é.
Quando uma pessoa tem uma deficiência física este fato não depende mais da sua decisão, pois a causa vem do passado, o efeito é que está no presente.
As escolhas feitas pelo espírito criam um caminho, certo destino, que chamamos de fatalidade.
A pessoa que afetou seu próprio corpo espiritual no passado, por ter ofendido as leis naturais, gravadas na sua consciência, provoca, ao renascer na matéria, uma modificação involuntária do seu corpo físico. É bem verdade que ela também pode ter pedido para nascer com determinada deficiência, ou mesmo ter solicitado que algo lhe acontecesse no transcorrer da vida física com um fim útil qualquer. O propósito de uma deformação física mais severa é sempre o de resgatar compromissos do passado. De um modo ou de outro,
as anomalias físicas têm origem no livre arbítrio do próprio Espírito.Um exemplo de fatalidade: uma criança que nasça com algum problema. A sua deficiência é um efeito resultante de uma
causa passada, e essa causa veio das escolhas que esse espírito fez utilizando-se da sua liberdade de decisão. Essa criança não nasce com problemas físicos porque algo “deu errado” na gestação ou no parto. Não, esse espírito já viria a nascer com problemas físicos, resultado de uma causa pretérita e geradora do problema atual.
Mesmo quando acontece uma negligência de um profissional ou da organização do hospital, ainda assim não há surpresa para os mensageiros responsáveis pelo processo da reencarnação. Só nasce com problema o espírito que estava previsto assim nascer. Caso contrário, a falha humana ali ocorrida será compensada
pelo mundo espírita. Não nasce com problemas quem não deveria assim nascer.
Nada “sai errado” para o planejamento espiritual.
Outro exemplo: uma futura mãe, ao usar drogas, cria uma circunstância adversa ao processo reencarnatório. Um espírito que já deveria nascer com deficiência orgânica poderá ser conduzido àquela mãe.
Entretanto, se forem diferentes os objetivos espirituais, seu filho nascerá sadio. No comando não está uma mãe irresponsável, mas os responsáveis pelo desenvolvimento das criaturas na Terra.
É comum a fatalidade ser compreendida como algo ruim, mas não necessariamente o destino é algo ruim, é apenas um destino, algo que seria fatal que viesse a acontecer.
Por exemplo: para um futuro atleta, que tem no seu destino atuar, com êxito, no mundo do futebol, será fatal que seu corpo venha com os requisitos necessários que lhe possibilitarão tornar-se esse grande atleta. Próximo do objetivo a que seu destino lhe ajudou a chegar, vem o mundo moral, totalmente indefinido, e esse atleta
se entrega aos excessos, e aí as consequências começam a traçar um novo rumo. Observe que era fatal que o seu físico viesse apropriado ao que iria executar, mas suas decisões são soberanas, capazes de mudar o curso de sua vida, de alterar seu destino.
Por essa razão, os Espíritos da Codificação concluem na questão 853 de “O Livro dos Espíritos” que fatal mesmo só o instante da morte. Ensinam que o livre-arbítrio é tão poderoso que pode mudar acontecimentos pré-determinados, até diante da morte. Quando soa a sua chamada, é necessário curvar-se a essa força irresistível.
Sabe-se que a hora da morte pode ser antecipada por decisão da própria criatura. É o livre-arbítrio, com seu poder, atuando sobre a mais fatal das fatalidades.
Uma pessoa pode antecipar sua partida do invólucro físico, devido às suas decisões imprudentes, pelos seus vícios, pelo rumo que dá à vida, sem respeito à Lei de Conservação, patrimônio do seu inconsciente. O poder da liberdade de escolha é tão respeitado nesse Universo que mesmo a morte se curva diante daquele que decide morrer mais cedo. Pode também, no entanto, por algum motivo importante, receber uma moratória e estender seu período de vida na Terra.Concluímos, portanto, que o espírito participa ativamente do seu destino, seja por ter acertado ou ter errado no pretérito, seja pelas decisões que tomou na vida espírita, antes da reencarnação, seja pelas decisões que vem tomando no decorrer da atual existência.
O livre-arbítrio proporcionará ao espírito a construção da sua felicidade ou fatalmente lhe aprisionará nas consequências dos seus atos equivocados.
É escolher.

George Abreu de Sousa


0 comentários:

Postar um comentário

VOTE AQUI

Doutrina Espírita para Principiantes

Loading...
Loading...

Postagens Populares

Isto não é Espiritismo - Frases, Fotos e Luzes

Minha lista de blogs

POST POR ASSUNTOS

a (1) ABORTO (9) ADULTÉRIO (1) ALCOOLISMO (1) Allan Kardec (11) ALMA (2) ANENCEFALIA (5) ANIMAIS (4) ANIMISMO (5) ANJOS (2) ANOREXIA (1) ANSIEDADE (1) APARIÇÕES (4) Artigo (524) AS DORES DA ALMA (12) AS DORES DA ALMA;ORGULHO (1) ÁUDIO E VIDEO (2) BIOGRAFIA (12) BULLYING (2) CALUNIA (4) CÂNCER (1) CARÊNCIA (1) CARIDADE (14) CARNAVAL (4) CASAMENTO (6) CASOS (5) CATARINA DE SIENA (1) CENTRO ESPIRITA (3) CHACRA (1) CHICO XAVIER (243) CIRURGIAS ESPIRITUAIS (6) CIUMES (2) CLONAGEM (1) CONVIVER E MELHORAR (7) CREMAÇÃO (1) CRIANÇA INDIGOS (8) CRIANÇAS (8) CULPA (1) DEPRESSÃO (16) DIALOGO COM AS SOMBRAS (28) DIVALDO FRANCO (145) DIVORCIO (2) DOAÇÃO DE ORGÃOS (1) DOENÇAS (8) DORA INCONTRI (12) DOWNLOAD (5) DUENDES (1) EMMANUEL (67) ENTREVISTA (25) EQM (4) ESPIRITISMO (5) ESPIRITO (26) EUTANÁSIA (4) EVENTO (121) EXILADOS DE CAPELA (2) FAMILIA (26) FANATISMO (3) (2) FEIRA DO LIVRO ESPIRITA (11) FELICIDADE (5) FILHO ADOTIVO (6) FILHOS (22) FILME (36) FINADOS (4) FLUIDO (2) FOTOS (17) GUERRA (2) HOMOSSEXUALIDADE (20) HUMOR (4) INVEJA (2) Joana de Ângelis (100) JORGE HESSEN (24) JORGE HESSEN art (3) LIVRE ARBITRIO (4) LIVRO (57) LIVRO DOS ESPIRITOS (2) LUTO (2) MÃE (3) MÁGOA (5) MALEDICÊNCIA (2) MARILYN MONROE (1) MEDIUM (67) MEDIUNIDADE (83) MELANCOLIA (1) MELINDRE (4) MENSAGEM (375) MESA GIRANTE (2) MÔNICA DE CASTRO (8) MORTE (60) MOURA FÉ (63) MUSICA (6) NILZA AZEVEDO (10) NOTICIAS (236) OBSESSÂO (20) ORGULHO (3) PASCOA (2) PÁSCOA (3) PASSE (9) PEDOFILIA (2) PERDÃO (15) PERISPIRITO (6) PERSONAGEM DA BOA NOVA (6) PINTURA MEDIUNICA (4) POESIA (10) PRECONCEITO (22) PROVAS (13) PSICOGRAFIA (4) QUALIDADE NA PRATICA MEDIUNICA (10) RECOMEÇAR (2) REENCARNAÇÃO (37) REFLEXÃO (104) RELACIONAMENTO (35) RELIGIÃO (1) RENOVANDO ATITUDES (31) S (1) SEMESPI (17) SEXO (14) Síndrome de Down (1) Síndrome do Pânico (1) SOLIDÃO (2) SONAMBULISMO (4) SUICIDIO (11) TATUAGEM (1) TOLERANCIA (3) TÓXICOS (5) TRAGÉDIA (5) TRANSTORNO BIPOLAR (1) TRISTEZA (1) VAIDADE (2) VAMPIRISMO (5) VIAGEM ASTRAL / DESDOBRAMENTO (1) VIDEO (28) VINHA DE LUZ (3) VIOLENCIA (2) ZIBIA GASPARETTO (7)

Visitas Recentes