Pesquisar Assuntos Neste Blog

10 de fev de 2012

Entrevista Divaldo Franco




 
O Evangelho é o guia de todos os momentos.

Reformador: Quais as consequências da atitude de dirigentes espíritas que, preocupados em obter recursos financeiros para a Casa Espírita, vendem todo tipo de livro espírita, não espírita, sem critério de seleção, e realizam vários tipos de atividades para captação de recursos?

Divaldo: Os espíritas, temos a obrigação de manter as instituições que criamos. Necessitamos tirar o escorpião do bolso e colocar a mão lá dentro. Não é lícito que peçamos àqueles que não são espíritas para que sustentem as nossas atividades espíritas. Podemos fazer a divulgação do nosso trabalho e solicitar a pessoas generosas, que gostam de realizar o bem, que nos ajudem no enobrecimento. Mas, não criarmos instituições para que outros se encarreguem de mantê-las. Há um velho ditado que informa “que não devemos pôr o chapéu onde o braço não chega”. Porque, momento virá, em que não alcançando o local, o chapéu cai. Estamos acostumados a arranjar mecanismos de sustentação do Centro Espírita, de ampliá-lo indefinidamente, esquecendo-nos das bases doutrinárias. Não são compatíveis, esses movimentos – bingos, rifas, bailes – na Casa Espírita.

A pretexto de fazermos o bem, não nos é lícito utilizar-nos de meios que não correspondam à qualidade de nossos ideais, porque, desse modo, seria mais lucrativo realizar atividades consideradas ilícitas. Nesse raciocínio de que os meios vão levar-nos a um objetivo elevado, tese, aliás, marxista, de que os meios justificam os fins, estamos cometendo uma deslealdade para com o Espiritismo. Que as nossas casas realizem o que seja possível com os recursos disponíveis na ocasião.

Reformador:
 O que pensar do Centro Espírita que quer ministrar curso e promover encontro de trabalhadores de vários centros, querendo, enfim, fazer o trabalho que compete à Federativa Estadual?

Divaldo:
 Não são poucos aqueles que assim procedem. Viajando muito, temos encontrado emvários Estados do nosso país essa forma de divisionismo. Determinado Centro é muito frequentado As pessoas aderem, por causa deste ou daquele motivo. E, logo, os dirigentes acreditam-se com poder federativo. Começam a competir. Cabe à Federação estadual explicar a esses companheiros, que a tarefa de divulgação coletiva pertence ao órgão federativo. Que o órgão federativo é a sua representação. Só existe o órgão federativo porque existe o Centro Espírita, não havendo motivo para competição, mas sim para cooperação.

Reformador: Segundo Léon Denis em O Espiritismo na Arte: “[...] dotarão a humanidade de tesouros de arte, de poesia, cujas riquezas e dimensão não poderíamos medir no momento e que se tornarão para ela fonte inesgotável de júbilo, de verdade e beleza”. Já estamos vivendo este futuro, este momento?

Divaldo:
 Estamos nos preparando para ele. Porque também virão os Espíritos artistas. Eles já estão reencarnando.Vemos em todo o mundo crianças regendo orquestras, falando idiomas diversos que não estudaram, e deslumbrando... Aí estão espetáculos extraordinários de reencarnação, quais os de cegos de nascença pintando obras de alto quilate artístico. Então, também a arte espírita vai ter os seus missionários, que nos encantarão com esse material extraordinário, que vem do mundo espiritual. A película cinematográfica Nosso Lar está sendo exibida agora nos Estados Unidos. Recebemos a informação de que já está traduzida ao inglês, portanto, alcançando outros países como o Japão...

Quando lograríamos isso, se não fosse através do cinema, através das artes cênicas? A Federação Espírita Brasileira, desde 1945 até o começo do ano passado, vendeu quase dois milhões de exemplares do livro Nosso Lar. O filme, em um mês, foi assistido por mais de dois milhões de pessoas. As obras espíritas, especialmente as de Allan Kardec e de André Luiz, passaram a ser mais vendidas, encontram-se gravadas em DVDs, em leituras virtuais, na Internet... Então, a Arte é um caminho extraordinário para a divulgação. A preocupação nossa deverá ser a de manter a qualidade doutrinária em todas as formas de apresentação.

Reformador:
 Como devem agir as Entidades Federativas e os espíritas junto à sociedade, nos fóruns e nas atividades da sociedade?

Divaldo:
 O Codificador, falando sobre os vários períodos por que passaria a Humanidade, disse que o último seria o da transformação social. Então, o Espiritismo tem recursos para contribuir grandemente em favor da construção da sociedade melhor. Não podemos omitir-nos, quando convidados a opinar. Não podemos, em nome da falsa humildade, estar ausentes dos movimentos sociais, daqueles que objetivam atender à comunidade.

Causou um grande impacto, a fotografia do presidente da FEB entregando o livro Brasil, Coração do Mundo, Pátria do Evangelho à presidente Sra. Dilma Rousseff. Além de ter ficado uma foto bonita, foi oportuna, pois o caro Nestor, ao ser informado de que a presidente passaria por ali, decidiu presenteá-la com o excelente livro e aguardou-a pacientemente, conseguindo um final feliz. Ela ficou muito feliz ao recebê-lo, e tenho certeza de que foi lê-lo, ou olhá-lo pelo menos por curiosidade. Então, a omissão é um “pecado” tão grave, quanto o é a perturbação.

Convidados para servir na sociedade, na elaboração de leis, nos movimentos como aqueles contrários ao aborto, à eutanásia, ao suicídio, cabe-nos estar presentes, o que, aliás, tem ocorrido, sendo importante a participação dos espíritas, porque não podemos estar marginalizados da sociedade. Graças a esse comportamento, temos retardado que essa lei criminosa em favor do aborto se torne realidade. O Movimento, por exemplo, para acabar com a pobreza, não nos pode encontrar de braços cruzados. Vamos participar dessas atividades dignificadoras da sociedade, mas que isso não seja a nossa prioridade, mas uma consequência dos nossos trabalhos doutrinários, dentro do ângulo da caridade recomendada pelo Codificador.

Reformador:
 Estamos próximos do Sesquicentenário de O Evangelho segundo o Espiritismo. O que representa este livro para o momento em que estamos vivendo?

Divaldo:
 É a obra que coroa a Codificação. O Livro dos Espíritos é a filosofia que responde a todos as questões afligentes que a criatura humana traz no seu bojo, desde os primórdios. O Livro dos Médiuns oferece-nos o campo investigativo da ciência para comprovar a sobrevivência e a comunicabilidade dos Espíritos. O Evangelho é Jesus de volta. É a parte dúlcida do Espiritismo, em que o Mestre retorna com toda a sua exuberância, na condição de Paracleto, de Consolador, de Iluminador de consciências.

Não que os outros livros, O Céu e o Inferno e A Gênese não tenham, também, extraordinários valores. Mas o Evangelho é o apoio moral. É a estrutura básica. É o retorno dos dias encantadores em que Jesus esteve conosco. Muitas vezes, reflexionando, começo a pensar como seriam aqueles dias, fazendo paralelo com os nossos dias. Ante a dureza dos tempos modernos, eu me pergunto: 
– Meu Deus! Onde estão aqueles pobres, a que O Evangelho segundo o Espiritismo se refere?
Onde estão as ações caridosas daquela dama, tão bem relatadas, que saía pelos bairros pobres de Paris distribuindo recursos aos mais infelizes, e que levava a filha? Os pobres de hoje são tão revoltados, anatematizados por várias aflições! E os generosos estão estressados. Dizem-se cansados, aturdidos. O Evangelho é a água lustral para nos propiciar a verdadeira harmonia interior.

Para mim tem sido o guia de todos os momentos. Leio-o todos os dias. Em cada instante procuro reflexionar e repito aquilo que um grupo de americanos realizou nos anos trinta, do qual nasceu o livro Em seus passos, que faria Jesus?

Toda vez, quando sou defrontado por um desafio, e tenho dificuldade de discernir para acertar no menos prejudicial, eu me pergunto:
– O que Jesus faria nesta situação? 

Abro, então, o Evangelho por acaso, esse acaso telementalizado, e a resposta, às vezes, é tão severa que eu tremo, parecendo que é o próprio Mestre quem me responde.
Como tivemos um grande encantamento pelo Sesquicentenário de O Livro dos Espíritos, como celebramos com menos brilhantismo o de O Livro dos Médiuns, porque um grande número de espiritistas e de médiuns nunca o estudaram, nem o leram em profundidade, que, pelo menos, no Sesquicentenário de O Evangelho segundo o Espiritismo, possamos fazer que ele chegue ao maior número possível de criaturas humanas, que cada um de nós seja-lhe multiplicador das mensagens libertadoras. Que as nossas Federativas possam imprimir muitos exemplares através da FEB ou por conta própria, para o divulgarmos ao máximo, porque o mundo chora, o mundo sofre e tem necessidade de conforto moral. As dores são crescentes. O desespero toma conta da sociedade em todos os segmentos. E o Evangelho é o lenço que enxuga as lágrimas, que retira o suor, mas é, também, a estrela polar, que está à frente apontando os rumos para que sigamos na direção de Jesus, que é a Estrela de Primeira Grandeza, existente com todo o fulgor.

N. da R.: As respostas completas a todas as questões da Entrevista com Divaldo Pereira Franco, realizada na Reunião do Conselho Federativo Nacional da FEB, no dia 12/11/2011, serão incluídas oportunamente em livro a ser editado pela FEB.

0 comentários:

Postar um comentário

VOTE AQUI

Doutrina Espírita para Principiantes

Loading...
Loading...

Postagens Populares

Isto não é Espiritismo - Frases, Fotos e Luzes

Minha lista de blogs

POST POR ASSUNTOS

a (1) ABORTO (9) ADULTÉRIO (1) ALCOOLISMO (1) Allan Kardec (11) ALMA (2) ANENCEFALIA (5) ANIMAIS (4) ANIMISMO (5) ANJOS (2) ANOREXIA (1) ANSIEDADE (1) APARIÇÕES (4) Artigo (524) AS DORES DA ALMA (12) AS DORES DA ALMA;ORGULHO (1) ÁUDIO E VIDEO (2) BIOGRAFIA (12) BULLYING (2) CALUNIA (4) CÂNCER (1) CARÊNCIA (1) CARIDADE (14) CARNAVAL (4) CASAMENTO (6) CASOS (5) CATARINA DE SIENA (1) CENTRO ESPIRITA (3) CHACRA (1) CHICO XAVIER (243) CIRURGIAS ESPIRITUAIS (6) CIUMES (2) CLONAGEM (1) CONVIVER E MELHORAR (7) CREMAÇÃO (1) CRIANÇA INDIGOS (8) CRIANÇAS (8) CULPA (1) DEPRESSÃO (16) DIALOGO COM AS SOMBRAS (28) DIVALDO FRANCO (145) DIVORCIO (2) DOAÇÃO DE ORGÃOS (1) DOENÇAS (8) DORA INCONTRI (12) DOWNLOAD (5) DUENDES (1) EMMANUEL (67) ENTREVISTA (25) EQM (4) ESPIRITISMO (5) ESPIRITO (26) EUTANÁSIA (4) EVENTO (121) EXILADOS DE CAPELA (2) FAMILIA (26) FANATISMO (3) (2) FEIRA DO LIVRO ESPIRITA (11) FELICIDADE (5) FILHO ADOTIVO (6) FILHOS (22) FILME (36) FINADOS (4) FLUIDO (2) FOTOS (17) GUERRA (2) HOMOSSEXUALIDADE (20) HUMOR (4) INVEJA (2) Joana de Ângelis (100) JORGE HESSEN (24) JORGE HESSEN art (3) LIVRE ARBITRIO (4) LIVRO (57) LIVRO DOS ESPIRITOS (2) LUTO (2) MÃE (3) MÁGOA (5) MALEDICÊNCIA (2) MARILYN MONROE (1) MEDIUM (67) MEDIUNIDADE (83) MELANCOLIA (1) MELINDRE (4) MENSAGEM (375) MESA GIRANTE (2) MÔNICA DE CASTRO (8) MORTE (60) MOURA FÉ (63) MUSICA (6) NILZA AZEVEDO (10) NOTICIAS (236) OBSESSÂO (20) ORGULHO (3) PASCOA (2) PÁSCOA (3) PASSE (9) PEDOFILIA (2) PERDÃO (15) PERISPIRITO (6) PERSONAGEM DA BOA NOVA (6) PINTURA MEDIUNICA (4) POESIA (10) PRECONCEITO (22) PROVAS (13) PSICOGRAFIA (4) QUALIDADE NA PRATICA MEDIUNICA (10) RECOMEÇAR (2) REENCARNAÇÃO (37) REFLEXÃO (104) RELACIONAMENTO (35) RELIGIÃO (1) RENOVANDO ATITUDES (31) S (1) SEMESPI (17) SEXO (14) Síndrome de Down (1) Síndrome do Pânico (1) SOLIDÃO (2) SONAMBULISMO (4) SUICIDIO (11) TATUAGEM (1) TOLERANCIA (3) TÓXICOS (5) TRAGÉDIA (5) TRANSTORNO BIPOLAR (1) TRISTEZA (1) VAIDADE (2) VAMPIRISMO (5) VIAGEM ASTRAL / DESDOBRAMENTO (1) VIDEO (28) VINHA DE LUZ (3) VIOLENCIA (2) ZIBIA GASPARETTO (7)

Visitas Recentes