Pesquisar Assuntos Neste Blog

8 de abr de 2014

Shanti Devi - Um caso de Reencarnação





Shanti Devi nasceu em 1926, em Delhi.
Aos 3 anos começou a falar sobre seu marido e seus filhos. No inicio os pais gostaram pq acreditavam que ela via neles uma familia feliz, mas depois isso passou a preocupar os pais,
pois Shanti não brincava como as crianças de sua idade.
Sua mãe então lhe chamou para conversar, e a menina contou que o nome de seu marido era Kedarnath e morava em Mutra com seus filhos.

A garota foi levada ao médico, que garantiu que ela era normal, e falou q ela estava inventando histórias como outras crianças para chamar atenção.
Então o médico entrevistou a menina, que contou toda história com detalhes. Quando o médico questionou então pq ela era uma menina ela contou:
- Eu morri a, mais ou menos, 1 ano antes de nascer. Meu nome era Ludgi e eu morri dando a luz a outro filho. Shanti deu detalhes da gravidez difícil e contou que o filho sobreviveu ao parto. A menina tinha resposta para todas as perguntas do médico.

Depois disso seu tio resolveu investigar o caso e mandou uma carta para o endereço que a garota dizia, procurando por um homem chamado Kedarnath e que teria perdido a mulher em 1925.

Kedarnath existe mesmo e recebeu a carta. Assustado pediu a um primo que morava em Delhi para visitar Shanti e ver se aquilo tudo não era um golpe da família.
Chegando lá a garota reconheceu o primo do marido, conversaram, o primo de Kerdarnath confirmou toda a história da garota e ficou decidido que Kerdarnath e seus filhos iriam visitar Shanti em Delhi.

Quando chegaram lá, o filho de Kedarnath foi coberto de beijos pela garota e chamado pelos apelidos carinhosos que Ludgi chamava. Com Kedarnath, Shavi tratou ele como uma adulta, servindo a ele, como sua esposa submissa fazia. Kerdarnath chorou e foi consolado por Shavi com palavras que só Ludgi e ele conheciam.

O caso foi parar na imprensa e um grupo de cientistas e repórteres levaram Shanti até Mutra para ver se ela falava a verdade, ou se aquilo tudo era uma farsa para a imprensa.
Chegando em Mutra, Shanti reconheceu os pais de seu marido, e falou com eles no dialeto de Mutra, e não na lingua que ela aprendeu em Delhi. Depois ela indicou o caminho e levou os repórteres e cientistas até a antiga casa de Ludgi. Ela achou a casa, reconheceu ela, mas falou que qd ela era viva a casa era amarela e agora tinha sido pintada de branca.
Kerdarnath não morava mais ali, tinha se mudado com os filhos e os novos moradores não permitiram a entrada de Shavi na casa.

Depois ela foi visitar a mãe de Ludgi, a velha ficou muito assustada com a garota que falava como Ludgi e sabia de coisas que só a Ludgi sabia, lembrando até do seu próprio funeral.
Quando questionada sobre alguma mudança na casa da mãe, ela falou de um poço que não tinha mais nos fundos da casa. Escavaram o local e encontraram um poço que tinha sido fechado.

Kedarnath perguntou a Shanti sobre alguns anéis que Ludgi havia escondido, e ela falou que havia enterrado eles e algumas jóias no jardim de sua antiga casa.
A comissão de investigação encontrou as jóias no local indicado por Shanti.

Apesar de tudo, Shanti não podia assumir o papel de mãe de garotos mais velhos do que ela, e nem papel de esposa para Kedarnath, que sentia mais temor dela do que afeto, até pq não poderia sentir afeto por uma criança...

Shanti Devi viu que não podia viver em 2 mundos, e viver no passado seria mais difícil e doloroso do que viver no presente. Aceitando conselhos, com sofrimento, ela se afastou da família antiga em Mutra e viveu sua vida jovem em Delhi.

Em 1958 um repórter tentou reabrir o caso e encontrou Shanti levando uma vida discreta como funcionária pública em Delhi. Quando foi falar com ela, ela falou que não queria mais reviver o passado. Tinha sido difícil esquecer sua velha família e ela não queria mais sentir aquela dor.

Ficou provado que uma menina que nasceu em Delhi em 1926 sabia tudo da vida de uma mulher que morreu em 1925 em Mutra.






Leia mais...


Shanti Devi

Shanti Devi (Delhi, India, 11 de dezembro de 1926 - 27 de dezembro de 1987)[1] foi uma criança que relatou uma suposta vida anterior, que seria um caso de reencarnação.

 Histórico

Ainda criança, na década de 1930, ela começou a comentar lembranças detalhadas de uma suposta vida passada. De acordo com os relatos, quando ela tinha quatro anos de idade, disse a seus pais que a sua verdadeira casa ficava em Mathura, onde viveu com seu marido, a cerca de 145 milhas de sua casa atual, em Nova Deli. Desaprovada pelos pais, ela fugiu de casa aos seis anos de idade, tentando chegar a Mathura. De volta para casa, na escola, ela declarou que fora casada e morreu dez dias depois de ter dado à luz uma criança.
Entrevistada por seu professor e diretor, ela usou palavras do dialeto de Mathura e teria divulgado o nome de seu marido, o comerciante Kedar Nath. O diretor localizou um comerciante com esse nome, em Mathura, o qual perdeu sua esposa, que se chamava Lugdi Devi, nove anos antes, dez dias depois de ter dado à luz. Kedar Nath viajou para Delhi, fingindo ser seu próprio irmão, mas Shanti Devi o reconheceu. Ela sabia vários detalhes da vida de Kedar com sua esposa, conseguindo convencê-lo de que era realmente a reencarnação de Lugdi Devi.

Investigação

O caso foi levado ao conhecimento de Mahatma Gandhi, que estabeleceu uma comissão para investigá-lo. A comissão viajou com Shanti Devi a Mathura, chegando em 15 de novembro de 1935. Lá ela reconheceu vários membros da família, incluindo o avô de Lugdi Devi. Shanti também descobriu que Kedar tinha se esquecido de manter uma série de promessas que tinha feito para Lugdi em seu leito de morte.
Um relatório foi publicado em 1936, concluindo que Shanti Devi era de fato a reencarnação de Lugdi Devi. [1] Dois outros relatórios foram escritos na época, o primeiro foi uma crítica à suposta reencarnação[2] e o segundo foi uma réplica ao relatório anterior.[3] Um novo relatório, com base em entrevistas realizadas em 1936, foi publicado em 1952.[4] Mais tarde, Shanti foi entrevistada novamente e um autor sueco que a tinha visitado duas vezes publicou um livro sobre o caso, em 1994. A tradução em inglês surgiu em 1998.[5]
Shanti Devi não se casou. Ela contou a sua história mais uma vez no final da década de 1950 e ainda outra vez onze anos depois, em 1986, quando foi entrevistada por Ian Stevenson e KS Rawat. Também nessa entrevista, ela contou sua experiência de quase morte. Rawat continuou suas investigações e uma última entrevista aconteceu apenas quatro dias antes da morte de Shanti, em 27 de dezembro de 1987.[6]
Shanti Devi significa Deusa da Paz em sânscrito.

Referências

  1. Ir para cima K. S. Rawat, T. Rivas (July 2005), "The Life Beyond: Through the eyes of Children who Claim to Remember Previous Lives"The Journal of Religion and Psychical Research 28 (3): 126–136
  2. Ir para cima L. D. Gupta, N. R. Sharma, T. C. Mathur, An Inquiry into the Case of Shanti Devi, International Aryan League, Delhi, 1936
  3. Ir para cima Nahata, Bal Chand. Punarjanma Ki Paryyalochana. Calcutta: Buddiwadi Songh. (Undated.)
  4. Ir para cima Sen, Indra. "Shantidevi Further Investigated". Proceedings of the India Philosophical Congress. 1938
  5. Ir para cima Bose, Suskil C. A Case of Reincarnation, Calcutta: Satsang, 1952
  6. Ir para cima Sture Lönnerstrand, Shanti Devi: En berättelse om reinkarnation. Stockholm 1994. English translation: I Have Lived Before: The True Story of the Reincarnation of Shanti Devi, Ozark Mountain Publishing, 1998. ISBN 1-886940-03-7
  7. Ir para cima "After Life Death: fact or Fiction", 14 April 2002.






Moura Fé

0 comentários:

Postar um comentário

VOTE AQUI

Doutrina Espírita para Principiantes

Loading...
Loading...

Postagens Populares

Isto não é Espiritismo - Frases, Fotos e Luzes

Minha lista de blogs

POST POR ASSUNTOS

a (1) ABORTO (9) ADULTÉRIO (1) ALCOOLISMO (1) Allan Kardec (11) ALMA (2) ANENCEFALIA (5) ANIMAIS (4) ANIMISMO (5) ANJOS (2) ANOREXIA (1) ANSIEDADE (1) APARIÇÕES (4) Artigo (524) AS DORES DA ALMA (12) AS DORES DA ALMA;ORGULHO (1) ÁUDIO E VIDEO (2) BIOGRAFIA (12) BULLYING (2) CALUNIA (4) CÂNCER (1) CARÊNCIA (1) CARIDADE (14) CARNAVAL (4) CASAMENTO (6) CASOS (5) CATARINA DE SIENA (1) CENTRO ESPIRITA (3) CHACRA (1) CHICO XAVIER (243) CIRURGIAS ESPIRITUAIS (6) CIUMES (2) CLONAGEM (1) CONVIVER E MELHORAR (7) CREMAÇÃO (1) CRIANÇA INDIGOS (8) CRIANÇAS (8) CULPA (1) DEPRESSÃO (16) DIALOGO COM AS SOMBRAS (28) DIVALDO FRANCO (145) DIVORCIO (2) DOAÇÃO DE ORGÃOS (1) DOENÇAS (8) DORA INCONTRI (12) DOWNLOAD (5) DUENDES (1) EMMANUEL (67) ENTREVISTA (25) EQM (4) ESPIRITISMO (5) ESPIRITO (26) EUTANÁSIA (4) EVENTO (121) EXILADOS DE CAPELA (2) FAMILIA (26) FANATISMO (3) (2) FEIRA DO LIVRO ESPIRITA (11) FELICIDADE (5) FILHO ADOTIVO (6) FILHOS (22) FILME (36) FINADOS (4) FLUIDO (2) FOTOS (17) GUERRA (2) HOMOSSEXUALIDADE (20) HUMOR (4) INVEJA (2) Joana de Ângelis (100) JORGE HESSEN (24) JORGE HESSEN art (3) LIVRE ARBITRIO (4) LIVRO (57) LIVRO DOS ESPIRITOS (2) LUTO (2) MÃE (3) MÁGOA (5) MALEDICÊNCIA (2) MARILYN MONROE (1) MEDIUM (67) MEDIUNIDADE (83) MELANCOLIA (1) MELINDRE (4) MENSAGEM (375) MESA GIRANTE (2) MÔNICA DE CASTRO (8) MORTE (60) MOURA FÉ (63) MUSICA (6) NILZA AZEVEDO (10) NOTICIAS (236) OBSESSÂO (20) ORGULHO (3) PASCOA (2) PÁSCOA (3) PASSE (9) PEDOFILIA (2) PERDÃO (15) PERISPIRITO (6) PERSONAGEM DA BOA NOVA (6) PINTURA MEDIUNICA (4) POESIA (10) PRECONCEITO (22) PROVAS (13) PSICOGRAFIA (4) QUALIDADE NA PRATICA MEDIUNICA (10) RECOMEÇAR (2) REENCARNAÇÃO (37) REFLEXÃO (104) RELACIONAMENTO (35) RELIGIÃO (1) RENOVANDO ATITUDES (31) S (1) SEMESPI (17) SEXO (14) Síndrome de Down (1) Síndrome do Pânico (1) SOLIDÃO (2) SONAMBULISMO (4) SUICIDIO (11) TATUAGEM (1) TOLERANCIA (3) TÓXICOS (5) TRAGÉDIA (5) TRANSTORNO BIPOLAR (1) TRISTEZA (1) VAIDADE (2) VAMPIRISMO (5) VIAGEM ASTRAL / DESDOBRAMENTO (1) VIDEO (28) VINHA DE LUZ (3) VIOLENCIA (2) ZIBIA GASPARETTO (7)

Visitas Recentes